sábado, 18 de janeiro de 2014

Os Beatles no ar



Os Beatles estão de novo no ar, e não é “no céu com diamantes”. É no novo álbum lançado por esses dias – sim, é possível se lançar algo novo dos Beatles de vez em quando – “On Air – Live at the BBC Volume 2”. O álbum é a 2ª compilação de gravações dos Beatles para programas da emblemática rádio inglesa British Broadcasting Corporation, a BBC. O primeiro volume foi lançado em 1994 e agora os fãs ganham mais uma compilação e com músicas inéditas. Entre 1963 e 1965 os Beatles gravaram diversas músicas para shows da BBC, inclusive para o show semanal da banda “Pop Go The Beatles”, e reúne várias músicas próprias e releituras de clássicos do rock e música americana que mal tinha cruzado o oceano rumo à Inglaterra.

A primeira impressão é de que essas compilações são somente para fanáticos como eu, que colecionam tudo que sai da banda. Porém, para quem deseja conhecer um pouco mais dos Beatles e, principalmente, sobre os primórdios da história do rock, é audição mais do que recomendada por vários motivos.

O primeiro é a escolha que os Beatles fizeram, após poucos anos de sucesso, de abandonar os shows ao vivo. Além disso, a qualidade das gravações ao vivo existentes é péssima devido aos equipamentos da época e aos gritos histéricos que abafavam os poucos watts disponíveis nos amplificadores usados então. As performances na BBC, apesar de não serem verdadeiramente ao vivo, tinham um clima muito próximo a isso, pois eles dispunham apenas de um canal de gravação e quase todas as músicas eram gravadas de uma só vez, com pouquíssima ou nenhuma edição posterior. Antes do sucesso, os Beatles eram uma banda que tocava noite após noite, por horas a fio, em bares e casas noturnas. E para dar conta precisavam, além da energia, de um repertório grande, capacidade para “garimpar” e incorporar novas músicas e de produzir suas próprias composições. Assim, as gravações da BBC são ótimas para se sentir a pegada rock e a energia dos Beatles no começo da carreira. Rock puro na veia: guitarra, baixo e bateria, como manda o figurino.

O segundo motivo é conhecer os primórdios do rock e suas raízes no Country e Rhythm & Blues. No final dos anos 50 e começo dos 60, a música americana de Chuck Berry, Little Richards, Buddy Holly e Elvis Presley estava tomando de assalto a Europa e influenciando uma massa de jovens com seu ritmo vibrante. E os Beatles foram não só influenciados, mas também influenciadores. Para se diferenciar de outras bandas, como o próprio Paul McCartney explica no livreto que acompanha o “On Air”, eles buscavam para o seu repertório músicas além das que já faziam sucesso na rádio. Pelo fato de Liverpool ser uma cidade portuária, muita coisa nova chegava pelas mãos dos marinheiros que voltavam dos EUA e os Beatles iam atrás de boas canções de artistas menos conhecidos ou, literalmente, do lado B dos discos. Com suas interpretações criativas os Beatles conseguiram imprimir sua marca até em músicas de outros e não é à toa que há quem considere músicas como “Twist and Shout” como sendo dos próprios Beatles. Como a maior parte dos dois discos da BBC são de covers, têm-se ali um excelente retrato do que era o rock nos seus primórdios e de como esse ritmo conquistou o mundo. E ainda falando de história do rock, o próprio trabalho dos Beatles preparava outra invasão, mas no sentido contrário do Atlântico. O rock americano desembarcou na Inglaterra, foi digerido e logo em seguida os invadidos seriam os próprios americanos.  No movimento que ficou conhecido como o British Invasion – a invasão britânica – o rock inglês chegou aos EUA e dominou a cena musical por um bom tempo, com bandas como os Beatles , Rolling Stones, The Kinks, The Who, The Animals e outras.

Por tudo isso a audição das gravações da BBC é ótima recomendação para se conhecer um pouco mais não só dos Beatles, mas da história do rock e de sua fase mais inocente. Some-se a tudo isso um excelente livreto que acompanha o “On Air”, que conta com textos do próprio Paul McCartney e do pesquisador Kevin Howlett contando a história e curiosidades das gravações, além de ótimas fotos. Como disse acima, é um material cujo interesse vai além dos beatlemaníacos e é diversão garantida para os fãs do estilo musical que mudou o mundo.


(Publicado no Jornal das Lajes em Jan/2014)

Nenhum comentário:

Postar um comentário